Mineiros presos em uma mina de ouro chinesa por mais de uma semana estão enviando notas para equipes de resgate

De acordo com a nova Agência de Notícias da China (Xinhua), o memorando confirmou que 12 mineiros ainda estavam vivos após a explosão, que ocorreu em 10 de janeiro na cidade de Kixia, província de Shandong. Quatro teriam ficado feridos, enquanto o destino de outros dez era desconhecido.

Os trabalhadores escreveram que ainda estavam otimistas, de acordo com a Xinhua, mas que precisavam de suprimentos médicos.

“Estamos extremamente exaustos e precisamos urgentemente de remédios para o estômago, analgésicos, esparadrapo, antiinflamatórios externos e três pessoas sofrem de hipertensão”, disse a Xinhua, citando o memorando.

A agência afirmou que esforços de resgate estão em andamento desde que a explosão ocorreu a 250 metros da entrada da mina, o que levou à prisão de 22 trabalhadores a uma altitude de 2.000 pés no subsolo.

As equipes de resgate supostamente ouviram barulhos de batidas daqueles presos no domingo, seguidos de sons de cordas de ferro puxando.

Explosões e mortes não são incomuns nas minas chinesas. Em setembro, pelo menos 16 trabalhadores estão no sudoeste da China Eles morreram depois de ficarem presos no subsolo Em uma mina de carvão, ele foi exposto a níveis perigosos de monóxido de carbono, informou a mídia estatal.
Em 2016, dezenas de trabalhadores foram posteriormente confirmados como mortos Uma explosão de gás em uma mina de carvão na cidade de Chongqing.
READ  Irã rejeita negociações nucleares com os Estados Unidos propostas pela Europa

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

N1 Sergipe