Líderes de associação criminosa morrem em confronto com a polícia em Areia Branca

Líderes de associação criminosa morrem em confronto com a polícia em Areia Branca

Líderes de associação criminosa morrem em confronto com a polícia em Areia Branca
(Foto: Cope)
Uma operação realizada na manhã desta quinta-feira, 05, pelos agentes do Complexo de Operações Policiais Especiais (COPE), em parceria com policiais da Divisão de Inteligência e Planejamento Policial (Dipol), Grupo Especial de Repressão e Buscas (Gerb) e Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), culminou nas mortes de Reynald Oliveira Lima, vulgo ‘Bolinha’, 25 anos; e José Leonardo dos Santos, mais conhecido como ‘Léo’, durante confronto com os policiais. Eles eram acusados de serem os líderes de uma associação criminosa que atuava nas cidades de Areia Branca e Malhador. 

Segundo o delegado Dernival Eloi, coordenador da operação, a ação se deu em virtude de determinação do secretário João Batista às equipes do COPE, no sentido de descobrir as causas de alguns homicídios ocorridos na cidade de Areia Branca e a sua relação com o tráfico de drogas na região.

Líderes de associação criminosa morrem em confronto com a polícia em Areia Branca
(Foto: SSP)
“Diante da determinação, demos início às investigações que culminaram na descoberta de uma associação criminosa que atuava em Areia Branca e que cometia os crimes de homicídio por disputas pelo domínio do tráfico. Essa quadrilha era comandada por ‘Léo’ e ‘Bolinha’, e que também tinha como integrantes os irmãos Genisson Silva Santos e Gerlisson Alves Santos, vulgo ‘Capitão’; além de Wedsson Oliveira Santos, vulgo ‘Bio’”, explicou.

Segundo as investigações, o grupo, responsável por promover diversos crimes de tráfico de drogas, homicídios e roubos de cargas em Areia Branca, tentava dominar a venda de entorpecentes na cidade de Malhador.

“Bio, Genisson e Capitão atuavam na prática dos homicídios, executando os inimigos de facções adversárias. Já Léo e Bolinha atuavam nos crimes de tráfico e roubo de cargas. Por razões ainda desconhecidas, Léo e Bolinha assassinaram Genisson em janeiro deste ano e depois promoveram uma emboscada a Bio e Capitão, já que este último havia jurado a dupla de morte em decorrência do assassinato do irmão. Os ex-integrantes foram executados com mais de 100 disparos de arma de fogo no veículo onde se encontravam, em um povoado de Areia Branca, um mês depois”, salientou.

De posse dos mandados de prisão expedidos pela justiça e das informações sobre o local onde a dupla estava escondida, os policiais empreenderam diligências no dia de hoje a fim de efetuar a prisão dos acusados. Ao chegarem ao endereço indicado, as equipes entraram em ação dando ordem de prisão à dupla, que reagiu efetuando vários disparos. No confronto, os acusados acabaram atingidos, vindo a óbito.

Fonte: Ascom/SSPSE

Iklan Atas Artikel

Iklan Tengah Artikel 1

Iklan Tengah Artikel 2

Iklan Bawah Artikel