Últimas

N1-Sergipe | O seu Blog de Notícias de Sergipe , Alunos do SENAI de Sergipe criam software capaz de agilizar análises de segurança e saúde no trabalho , noticias , sergipe ,

Alunos do SENAI de Sergipe criam software capaz de agilizar análises de segurança e saúde no trabalho

30 de novembro de 2018
As empresas, indústrias e estabelecimentos comerciais devem realizar exames e testes ergonômicos nos funcionários e nos equipamentos de uso diário, como forma de promover a saúde e segurança nos ambientes de trabalho.

Reprodução / Agência do Rádio Mais
Ergonomia é a relação entre o funcionário e o ambiente de trabalho, ou seja, é um conjunto de normas e disciplinas que têm objetivo de proporcionar conforto e de evitar acidentes no local de serviço.
No Brasil, a Norma Regulatória 17, do Ministério do Trabalho e Emprego, estabelece regras e parâmetros para tornar os ambientes de trabalho seguros e confortáveis durante as atividades profissionais. A regra estabelece que os empregadores sejam responsáveis em realizar os testes ergométricos nos funcionários e equipamentos.
No entanto, promover as ações que possam melhorar a ergonomia em uma empresa gera despesas porque os sistemas de análises são complexos e morosos. Um trabalhador pode desenvolver dores nas costas por estar usando uma cadeira inadequada ou instalada de forma desproporcional à altura da mesa, por exemplo. Nesse caso, a empresa deve realizar análise do local, da mesa, do teclado do computador, do estofado, encosto e assento da cadeira e, o mais importante, verificar como o colaborador usa esses objetos. Se a empresa tiver um quadro de 50 funcionários, esse esforço será realizado 50 vezes.
Implantar um sistema de análise ergonômico eficaz, rápido, sem gerar custos altos para as empresas, que promova a saúde e segurança do trabalhador, foi o desafio que alunos do SENAI de Aracaju, Sergipe, decidiram encarar.
Os estudantes do curso técnico profissional de Desenvolvimento de Sistemas, do SENAI, criaram um software capaz de analisar a ergonomia nas empresas de forma simples, rápida e eficaz.
“Hoje, para a pessoa fazer um teste ergonômico, que é uma análise, em verdade, passa entre 30 minutos a 45 minutos para fazer essa análise e precisa de um monte de equipamento. E o Ergo Plus é um sistema web responsivo que pode ser utilizado no celular, computador, notebook, qualquer dispositivo eletrônico que tenha câmera, e faz a análise ergonômica do funcionário em minutos. Pelos testes que a gente fez chega até entre dois e cinco minutos”, explica o instrutor de Desenvolvimento de Sistemas do SENAI, de Sergipe, e orientador do projeto Ergo Plus, Jailson Santos.
Desenvolvimento
A ideia de agilizar as análises ergonômicas nas empresas surgiu a partir de pesquisas realizadas pelas próprias indústrias que perceberam a necessidade de melhorias nos sistemas. As informações foram repassadas aos instrutores do SENAI e apresentadas para os alunos em sala de aula.
E assim surgiu o projeto Ergo Plus. O produto foi concebido para digitalizar os testes ergonômicos, agilizar os resultados e diminuir os custos para as empresas por meio de um software. Além disso, a ferramenta é capaz de compartilhar as informações na internet de forma online, sem necessidade de impressões em papel e o uso de aparelhos complexos. O usuário do Ergo Plus necessita apenas de um smartphone, com câmera de vídeo ou foto, e conexão com a internet.
O trabalho dos alunos foi inscrito no Mostra Inova 2018, um programa que seleciona e apoia o desenvolvimento de projetos realizados por alunos das escolas SENAI. O Ergo Plus foi classificado entre os melhores produtos inovadores do estado e, posteriormente, entre os 25 selecionados para etapa nacional. Ao final, o produto ficou em terceiro lugar na categoria Produto Inovador do Mostra Inova 2018.
“Todo esse processo foi muito válido. Tanto para o amadurecimento do produto, mas também como motivação para os alunos dentro do ambiente escolar. Inclusive começaram a participar mais dos projetos dentro daqui do SENAI Sergipe porque verificaram a possibilidade de serem reconhecidos”, revela Jailson Santos.
Ergo Plus
O projeto Ergo Plus foi adequado para ser comercializado e o interesse das empresas em conhecer a tecnologia é grande. Os alunos criaram uma startup que comercializa os serviços do Ergo Plus e já contabilizam mais de 4,2 mil usuários e 22 vendas. O Ergo Plus oferece diversos planos de análise ergonômica para profissionais e empresas, em pacotes específicos adaptáveis de acordo com a necessidade de cada cliente.
O projeto Ergo Plus, Ergonomia em um Clique, foi desenvolvido pelos alunos Ulisses Mateus, João Victor Andrade, Cristian Di Giovanni e Gabriel Luiz Cruz, além do instrutor do SENAI, Jailson Silva.
“Foi uma experiência inigualável porque a partir do momento que o nosso professor nos deu a oportunidade, e nos mostrou um caminho, uma provável solução, foi possível a gente desenvolver, foi uma experiência inigualável. Depois que você vê o seu projeto lá, as pessoas gostando do seu projeto, vendo que seu projeto pode ajudar muito e, realmente resolve um problema real, é indescritível”, revela o aluno do SENAI de Sergipe e integrante do grupo que desenvolveu o Ergo Plus, Gabriel Cruz.
Programa Mostra Inova 2018
O programa Mostra Inova 2018, do SENAI, classificou 50 projetos para a fase nacional, em duas categorias: Produto Inovador e Processo Inovador. Os classificados demonstraram seus projetos na Olimpíada do Conhecimento, realizada pelo SESI e SENAI, no mês de julho.
Os 25 projetos classificados na categoria Produto Inovador tiveram consultoria com profissionais especializados, aulas à distância e auxílio financeiro de até cinco mil reais para o desenvolvimento das ideias. Na categoria Processo Inovador, os selecionados contaram com consultoria, participaram de banca virtual, de aulas à distância e auxílio financeiro de até dois mil reais.
Ao todo, as escolas do SENAI, em Sergipe, participaram da etapa nacional do Mostra Inova com três projetos. Além do Ergo Plus, o estado foi destaque com o Sistema Automático de Pesagem que transforma carrinhos de mão, usados na construção civil, em balanças para aferição de materiais, e com o Kit União de Bicicletas desenvolvido para transporte de pessoas com deficiência visual.


Reportagem Cristiano Carlos / Agência do Rádio Mais