Vice-governadora prestigia a solenidade de 30 anos da Constituição de Sergipe

Vice-governadora prestigia a solenidade de 30 anos da Constituição de Sergipe


Na tarde da última segunda-feira, 07,representando o governador Belivaldo Chagas, a vice-governadora Eliane Aquino compareceu à Assembleia Legislativa de Sergipe para participar da solenidade em alusão aos 30 anos da Constituição Sergipana. (Foto: Danillo França)
Para Eliane Aquino, o momento é marcante porque reforça as bases democráticas que ela acredita. “Uma tarde especial, verdadeiramente especial e cara a todos os sergipanos e sergipanas. Há trinta anos, a nossa Constituição Estadual era promulgada, há trinta anos Sergipe acompanhou o processo histórico do Brasil e passou a ter, como estado autônomo do país, a sua própria Carta Magna. Em nome da democracia, esse sistema político universal e milenar, saúdo a cada um dos deputados constituintes que, com sua história e trajetória deixaram sua marca em nossa constituição, tornando-a marca da diversidade de pensamento e do debate saudável e produtivo que deve caracterizar a vida nas casas legislativas”.
 Além de Marcelo Déda, foram homenageados os deputados constituintes responsáveis pela elaboração da Constituição Sergipana promulgada em 5 de outubro de 1989: Guido Azevedo (presidente), Reinaldo Moura Ferreira (vice-presidente), Carlos Alberto de Oliveira (1º secretário), Antônio Arimatéa Rosa (2º secretário), Dilson Cavalcante Batista (3º secretário),Aroaldo Alves de Santana (4º secretário), Nicodemos Correia Falcão (relator),Laonte Gama da Silva (sub-relator), Abel Jacó dos Santos, Djalma Teixeira Lôbo, Djenal Tavares Queiroz, Eliziário Silveira Sobral, Francisco Modesto dos Passos, Francisco Teles de Mendonça, Hildebrando Dias Costa, Jerônimo de Oliveira Reis, Joaldo Vieira Barbosa, José Carlos Machado, Luciano Andrade Prado, Luiz Antônio Mitidieri, Marcelo da Silva Ribeiro, Nivaldo Silva Carvalho e Rosendo Ribeiro Filho.
A primeira constituição de Sergipe foi promulgada em 8 de junho de 1891. Com a renúncia do presidente da república Manuel Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto assumindo o cargo, os governos estaduais que não eram favoráveis a Floriano foram substituídos, levando à promulgação de outras constituições. Seguindo os demais estados brasileiros, o estado de Sergipe promulgou uma nova constituição no dia 18 de maio de 1892. As novas promulgações: em 1935, em 1947, em 1967 e 1989.
Na opinião do ex-deputado constituinte,Nicodemos Falcão, que também foi relator da Constituição Sergipana, o estado de Sergipe ousou. “A constituição de Sergipe foi a que primeiro reivindicou o controle do poder judiciário. O Tribunal de Justiça disse ser inconstitucional à época, mas depois estão aí, resoluções de controle ao judiciário”, enfatiza.
Os deputados constituintes vivos e os familiares dos que faleceram foram homenageados com uma edição especial da Constituição Estadual e uma medalha produzida para celebrar os 30 anos da Promulgação. Também foram homenageados alguns ex-deputados estaduais da Casa e os atuais que possuem mandato e que estavam prestigiando a solenidade, além de autoridades convidadas. O presidente da Casa, deputado Luciano Bispo, fez questão de registrar que aquele ato era um reconhecimento público para um trabalho tão bem feito no passado.
Biografia de Marcelo Déda
Marcelo Déda Chagas nasceu na cidade de Simão Dias, em 11 de março de 1960, e é o mais novo de uma família de cinco irmãos, cujos pais são o senhor Manoel Celestino Chagas e dona Zilda Déda Chagas. Em 1973, aos 13 anos, ele deixou a cidade para estudar em Aracaju, no Atheneu Sergipense. Foi eleito, em 1986, deputado estadual com a maior votação de sua legislatura, com mais de 30 mil votos. Em 26 de maio de 2000, Marcelo Déda, na época um dos mais atuantes deputados federais do Brasil, ingressa no processo eleitoral como candidato a prefeito de Aracaju, ganhando a eleição ainda no primeiro turno, com 52,80% dos votos válidos. Em 2004, Déda foi reeleito prefeito de Aracaju com 71,38% dos votos válidos. Em 31 de março de 2006, Déda renunciou ao mandato de prefeito de Aracaju para encarar a disputa pelo governo do Estado. Em vitória histórica, que simbolizou uma mudança no cenário político sergipano, Marcelo Déda é eleito governador com 52,48% dos votos. Em 2010 ele venceu mais um pleito para o governo do estado de Sergipe. Em 2 de dezembro de 2013, no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, Marcelo Déda veio a falecer, vítima de um câncer gastrointestinal.
Fonte: ASN 

Iklan Atas Artikel

Iklan Tengah Artikel 1

Iklan Tengah Artikel 2

Iklan Bawah Artikel